Archive for Fevereiro, 2010

O meu primeiro milhão de milhas

22 de Fevereiro de 2010

Tive direito a um Up In The Air só para mim.  As personagens eram em menor número, os diálogos menos artísticos e o Clooney estava de baixa,  uma constipação segundo o substituto. Infelizmente,  não tive o privilégio de ouvir que  “todos os grande homens passaram por uma situação semelhante”. 🙂

Anúncios

Rafeirus predilectus#1

15 de Fevereiro de 2010

Pouco dançável, poema sem conteúdo e refrão tão repetitivo como o pregão das mulheres que caminham descalças pelos areais a anunciar a promoção do nogat. Somam-se os anos, mas o preço e a poesia mercantil mantem-se. O hit não triunfa na forma, mas a mensagem é tão persistente como uma nódoa de ameixa. Não desgruda do tecido cerebral: “you’re my heart you’re my soul”

Face Oculta

12 de Fevereiro de 2010

Hoje fui muito pressionado. Não pararam de chover pedidos codificados com refrências bizarras. Ora eram cafés, ora eram bolachas.

Bruno, a pomba da paz

12 de Fevereiro de 2010

Os reis do gado

8 de Fevereiro de 2010

Cuidado amiguinhos do farmville, um estudo da Universidade do Arkansas assegura que 1 por cento dos fazendeiros virtuais podem contrair encefalopatia espongiforme. Os restantes 99 por cento apenas estão condenados a imitar a bicharada.

Segunda-feira, o regresso do fiambre

1 de Fevereiro de 2010

Os tabuleiros percorrem uma estreia estrada nacional metálica. À janela, os copos e os talheres têm uma visão privilegiada da paisagem. Primeiro, surge o pantanosa estrutura da carne de vaca, bem nervosa, refogada por espesso tecido efluente, seguido pelo escarpado paste bacalhau e terminando numa brilhante praia dourada cortada aos palitos. A imagem idílica do refeitório segue com os braços esticados e cabeça rodopiante à procura de espaço para o repasto. À mesa, os do costume. Em ruído de fundo fala-se sobre Orçamento do Estado e resultados da bola. O tema está na ordem do dia, mas nem só a política é notícia. Afinal, o ser humano é poliédrico. Fora do jogo das quatro linhas dedicadas ao desafio politico- partidário alguém fez uma pergunta desarmante: “Como é que é feito o fiambre?” Não sei. Limito-me a constatar que é fatiado.