Archive for the ‘sociedade’ Category

Fora do arame

11 de Novembro de 2009

Pôr a roupa a secar no estendal em França é quase tão barato como estacionar um carro na baixa alfacinha

Urnas rafeiras

27 de Setembro de 2009

“Ainda bem que não juntaram as eleições, da última vez que votei deram-me três papeis.”

Empresa pública promove trabalho infantil

21 de Setembro de 2009

Se criançada jardim escola João de Deus, em Alvalade, pode aproveitar a sua condição para pedir umas moedinhas para o Santo António também podem fazer de parquímetro durante umas horitas. Amanhã às 10.oo, a criançada vai descobrir que as mães são acusadas de ter a profissão mais velha do mundo e que a figura paterna possui algumas semelhanças com as torres gémeas, depois de fazerem o gosto ao dedo: “Não há moedinha,toma lá multinha”imagem passadeira.

Magalhães não sabe nadar

20 de Setembro de 2009

As caravanas passam. Os candidatos atiram culpas  a governo e profetizam tempos de vil pobreza, durante as arruadas previamente marcadas por sms. As criticas ao Governo são  como um balde de pipocas antes da entrada na sala de cinema: os ouvidos ficam cheios com as mesma palavras de ordem, criticas efémeras,salgadas, enjoativas .

Durante as europeias, passei umas horas a debitar o nome de eleitores, na assembleia de voto, numa escola primária. O papel de independente, além de render uns trocos, fez com que pudesse ler um jornal desconhecido:”Dar à Língua. O título parece sugerir um produto entre a Marina e Flash, mas o conteúdo revela uma grande sensibilidade distinta.

O jornalista Micael teve direito a uma página para falar sobre o Magalhães. O periodista da turma A do terceiro ano escreve sobre os divertidos jogos do navegador de plástico da era digital. “Para que serve o Magalhães?” A resposta não é apenas do interesse dos pais que em pedaços de baba manifestam o orgulho no seu petiz.  O esclarecimento é universal. “O Magalhães serve para escrever textos, jogar, fazer gráficos, fazer desenhos, etc. O Magalhães também pode servir para pesquisar informações, mas é preciso ter Net e na nossa sala não há”. Afinal, o Magalhães é o maior navegador da piscina.

ASAE dá “sopa” aos pobres

14 de Setembro de 2009

O refeitório social de Faro que fornece mais de meio milhar de refeições diárias aos mais pobres, foi encerrado recentemente pela Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica (ASAE), mas a Santa Casa da Misericórdia lamenta o facto.

Num aviso afixado na porta do refeitório social da Santa Casa da Misericórdia na Baixa de Faro pode ler-se: “Atenção, lamentamos informar que por encerramento da ASAE, este refeitório social não tem possibilidade de servir refeições durante um período indeterminado”.

“É pena que não ponham as pessoas em primeiro lugar”, lamentou hoje, em declarações à Lusa, o provedor da Santa Casa da Misericórdia em Faro, Candeias Neto, explicando que a cozinha havia sido alvo de uma “desbaratização um dia antes da visita da ASAE ter encontrado algumas baratas mortas no chão” e ter dado ordem de encerramento.